COMUNICAÇÃO E MÍDIA

Notícias

Organizar a casa é desafio de quem sai da residência dos pais
18/04/17 12:44

Quando chega a hora de deixar a casa dos pais, independentemente da idade que se tem,  a primeira sensação que sentimos é a da de liberdade. Porém, não demora para descobrir que as roupas não se lavam e passam sozinhas, a comida não chega na mesa com um passe de mágica e a cama não é forrada automaticamente.

A decisão de ter seu próprio canto traz muita responsabilidade. A mudança significa deixar para trás uma época de conforto e comodidade e pensar que é o momento de aprender a organizar as finanças e também a própria casa. Para muitos, é o começo do zero, porém organizar a própria vida pode ser mais simples do que parece. Confira as dicas.

Se a etapa for encarada como algo natural, facilita a adaptação. “Ter o próprio espaço é uma das delícias de deixar para trás uma fase da vida e aprender a tomar conta de si mesmo e da casa. Difícil? Nem tanto. O mais bacana em ter seu próprio canto é a liberdade conquistada e as responsabilidades que você terá. Taxas de condomínio, luz, telefone, organização, compras, tudo o que você nunca fez pode ser simples”, garante a personal organizer Mônica Ayub.

A economista Viviane Vasconcelos sentiu na pele as mudanças na hora de deixar a casa dos pais. Acostumada a ter comida e roupa lavada, até então não tinha se dado conta do que era preciso para manter a casa organizada. “Sempre morei com meus pais e fui muito acostumada a acordar e escolher o menu do dia. A funcionária fazia meu cafezinho, almoço e jantar. Então sempre fui muito acostumada a ter tudo no horário certinho, até casar com 31 anos”, afirma.

Porém, mesmo depois de casar, a rotina não mudou muito. “Não fugiu muito ao que eu vivia na casa dos meus pais porque continuei mantendo uma funcionária que sempre me ajudou demais”, acrescenta. A virada para as responsabilidades aconteceu mesmo depois que Viviane se separou, seis anos depois. Neste momento, ela decidiu morar sozinha com o filho e assumiu todas as responsabilidades da casa. “Foi bronca porque eu nunca entendi a mágica de se enxugar um chão molhado com muita água, por exemplo. Quando lavava, eu não sabia para onde ia aquela água quando não se via um ralo. Eu não sabia cozinhar, nem limpar a casa, a roupa, nada, foi um caos. Para receitas, eu contava com a ajuda da minha internet porque, quando ela parava de funcionar, eu não conseguia terminar o resto das refeições”, detalha.

No entanto, diante da necessidade, a economista foi aprendendo. “Hoje em dia já posso dizer que sei me virar sozinha. E como a vida é um eterno aprendizado, aos 37 anos descobri o que é um cará porque tive que começar a fazer feira e tive que começar a me virar em 30 pra dar conta de casa, filho e academia. Entendi que a gente sobrevive mesmo sem saber fazer nada porque, no final, a gente acaba aprendendo”, acrescenta.

Apenas o necessário

Com a parte financeira sob controle, é hora de partir para as questões mais práticas, como a organização da casa. Apesar de parecer missão complicada, o novo canto só fica bagunçado se o dono gostar, é o que garante a personal organizer Mônica Ayub. O primeiro passo deve ser uma seleção do que levar para a casa nova. “O primeiro passo é fazer uma triagem de verdade de tudo o que você tem na casa de seus pais: roupas, livros, objetos pessoais e objetos de decoração”, explica.

No caso das roupas e sapatos, ela aconselha fazer três pilhas, uma para o que será doado, uma para o que realmente é usado e a última para o que vai fora ou será reciclado. “Reduza ao máximo seu guarda-roupa para poder ter espaço para tudo na casa nova, que, possivelmente será algo menor”, afirma Mônica. “Lembre-se de ter camisas e calças fáceis de passar, ou mesmo nem passar, caso de camisetas, pólos, calças jeans, cuecas e meias”, completa.

Para livros, a personal organizer afirma que o ideal é doar tudo o que não lê há mais dois anos. “Dê aos seus amigos os best sellers que você nunca mais irá ler. E arrume uma pequena biblioteca com o que conta: clássicos mundiais e grandes autores que transcendem o tempo”, diz. No caso dos CDs, a solução pode ser mais radical. “Vamos combinar que são totalmente “démodé”. Seu celular serve para as músicas e você e economiza espaço”.

Na hora de escolher a decoração, é possível economizar e não pesar o bolso neste início de nova vida. “Continue com foco minimalista. Converse com um arquiteto amigo e diga que você quer ideias de decoração sustentáveis. É mais barato e fica super bacana, da sala ao quarto”, esclarece. O pallet pode servir como solução para sofás, puffs, cama, armário, poltrona, mesa de centro, sapateira e estante. “Os supermercados jogam tudo fora, basta pedir permissão e pegar o que você quiser. E seu amigo arquiteto pode apenas desenhar todos esses móveis para você como presente de chá de casa”, completa.

Organizando a casa

É possível adaptar cada ambiente da casa de forma que fique tudo simples e que dê menos trabalho na hora de organizar e limpar. Na cozinha, o ideal é ter o mínimo de móveis e utensílios. “Geladeira, fogão, uma boa bancada ou dois cavaletes com uma porta cortada que pode servir como bancada e pode ser armada e desmontada. Para copos, pratos, talheres, canecas e toda a parafernália de cozinha é bom reduzir em conjuntos de quatro objetos de cada”, ressalta a personal organizer Mônica Ayub. Ela ainda ressalta que, para manter a ordem, se sujar, tem que lavar na hora.

Na área de serviço, a máquina de lavar é fundamental e, com ela, é possível minimizar o trabalho na hora de lavar as roupas. “Não deixe acumular roupa suja: pessoais, de banho e lençóis. Ao estender as roupas, deixe-as bem lisinhas no varal. Isso fará com que você não precise passar nada. Essa dica é preciosa. Tenha ainda um pequeno armário para guardar todos os produtos de limpeza. Coloque os fechados bem acima e os em uso mais baixos”, aconselha.

Para o banheiro, a falta de armário não é um problema, já que a bancada pode receber os objetos mais usados. “Uma dica importante é aproveitar para lavar o banheiro enquanto toma banho. Duas vezes por semana está ótimo”, diz a personal organizer. No quarto, se os móveis forem de pallets, basta um colchão. “Senão tiver armários, use araras. Compre, no máximo, quatro peças de lençóis. O mesmo vale para toalhas de banho e rosto. Todos brancos porque não mancham e dão menos trabalho para repor”, complementa.

Dicas de limpeza

– Quanto mais minimalista a decoração, menos objetos para tirar pó;

– Piso em cerâmica? Basta passar pano com água sanitária e está limpo;

– Piso em madeira? Basta passar pano com cera líquida (qualquer uma) e está limpo;

– Plantas? As que requerem pouca água: cactos e seixos brancos ficam lindos juntos;

– Objetos decorativos: faça um open house com todos os seus amigos, amigas, pais, irmãos, parentes e uma lista do que você precisa. Aproveite e dê uma festinha com muito charme e com seu estilo. Afinal, a casa é sua! E, para limpar, avise que cada um vai ajudar. A casa fica limpa e no dia seguinte você vai trabalhar feliz da vida.

Zap

 

139 acessos


Compartilhe

Assista nosso vídeo institucional